Partilhar

Percurso Pedestre de Argeriz às Pias dos Mouros (Valpaços)Quem percorre a Estrada Nacional 206 (EN 206) de poente para nascente, a cerca de 12 quilómetros antes de Valpaços encontra a povoação de Argeriz, encaixada no sopé da Serra da Padrela e recheada de vestígios pré-históricos.
Devido à sua localização privilegiada, esta aldeia transmontana beneficia de uma paisagem incrível sobre a região.
Na estrada que atravessa a aldeia, facilmente encontrei a Capela e o Cruzeiro de Nossa Senhora do Pranto onde iniciei o percurso pedestre que me levou a conhecer Argeriz e o Santuário Rupestre, designado também por “Pias dos Mouros”.
Neste pequeno monte e protegido por uma cúpula de quatro arcos, as características peculiares do cruzeiro detém-me para uma observação mais detalhada. Com dupla face, numa delas vejo presente a morte de Cristo e uma caveira aos pés, e do outro encontro Pietá, a virgem Maria com o corpo de Jesus nos braços.
Desço em direcção ao centro da aldeia percorrendo as ruas em calçada com muros de pedra altos, escondendo pomares, vinhedos, olivais e pequenas hortas de subsistência. Os alpendres gastos pelo tempo estão vazios. Num deles, dois bancos em madeira fazem companhia um ao outro enquanto os pregos ferrugentos seguram, da melhor forma que ainda conseguem, as tábuas de protecção da varanda.
Passo pelo edifício do Centro Cultural e Recreativo de Argeriz que, em cores vivas, destoa das restantes edificações.
Pelas ruas e travessas estreitas do centro da aldeia, chego ao lavadouro público e ao seu lado a Fonte do Senhor, a Fonte de Mergulho cujas águas foram alvo de crenças milagrosas pelos habitantes de Argeriz.

Numa área mais descampada encontro o Santuário Rupestre de Argeriz que também é conhecido pelas gentes locais por “Pias dos Mouros”.

Inicio a subida da aldeia e logo depois da escola primária reencontro a EN 206. Atravesso-a com cuidado para o Bairro da Bela Vista que fazendo jus ao nome, proporciona-me um panorama impressionante desta região fronteira entre a Terra Quente e a Terra Fria transmontana.
Entro agora num trilho em terra batida que sobe o monte, onde esparsas sombras de pinheiros bravos aliviam o esforço despendido.
Chego ao cimo do outeiro e numa área mais descampada encontro o Santuário Rupestre de Argeriz que também é conhecido pelas gentes locais por “Pias dos Mouros”. Este vestígio arqueológico, classificado como Imóvel de Interesse Público desde 1984, é constituído por duas pias rectangulares e alguns degraus esculpidos na rocha. Suspeita-se que terá sido um lugar de sacrifícios ou uma sepultura de um guerreiro.
Descanso um pouco saboreando as magníficas paisagens que me são oferecidas do alto desta colina.
É hora de regressar a Argeriz. Desço pelo mesmo trilho até encontrar a Estrada Nacional que atravesso em direcção ao centro da aldeia. No Largo do Terreiro sigo agora pela direita e poucos metros à frente encontro a Igreja de S. Mamede de Argeriz. Seguindo a rua em calçada apanho um caminho rural que, circundando os campos agrícolas, me leva ao Largo Nossa Senhora do Pranto, onde iniciei e termino a caminhada.

Quinta Rota D'Oliveira

FICHA TÉCNICA

3,5 kmscircular
_
ALTIMETRIA
Altimetria
DOWNLOAD GPS (GPX + KML)

(inscreve-te já na newsletter para receberes os próximos percursos por email)

Partilhar