Partilhar

Passadiços de Fiães - Rio Uíma (Santa Maria da Feira)

Este foi um dia feliz, um dia de reencontros e de comemoração de uma amizade. Foi um dia bom.
Todos sabemos que a vida prega-nos muitas partidas e cabe a cada um de nós encontrar a melhor forma de as ultrapassar. Não sendo por vezes fácil encontrar a força necessária para o fazer, outras vezes temos em que a coragem, determinação e optimismo ao enfrentar as adversidades são um exemplo para todos nós.

O Jorge tem os trilhos no sangue. Aproveitava quase todas as folgas e tempos livres que dispunha para caminhar e juntar mais uns quilómetros aos muitos que já tem nas pernas, sem nunca se cansar de descobrir novos caminhos por esse Portugal fora. Quase sempre acompanhado, foram muitos os amigos que foi fazendo nessas aventuras. Amizades essas que ainda hoje perduram.

“Quando a caminhada fica dura, só os duros continuam caminhando.”

Há uns anos o Jorge descobriu que tinha pela frente o seu maior desafio até então. Sendo saudável e com hábitos de vida saudáveis, a notícia inesperada de uma doença autoimune alterou o seu quotidiano a partir daí. Mas o Jorge não mudou.
Continuou a ser o mesmo gajo porreiro, optimista e com muita vontade de enfrentar o que quer que o futuro lhe reservasse. E continuava a gostar das suas caminhadas.
Com o apoio da família e dos seus verdadeiros amigos, os dias difíceis tornaram-se um pouco menos difíceis. Os pequenos prazeres da vida, uma conversa, um almoço, um passeio, são agora o alimento para toda a coragem que tem demonstrado a quem o acompanha.
Sem querer incomodar e “dar trabalho” aos seus mais queridos, tomou a decisão de procurar apoio numa instituição adaptada às suas condições e com pessoal especializado para o ajudar. Hoje com a cadeira de rodas como companheira, mantém toda a boa disposição e optimismo que sempre o caracterizaram. E a paixão pelas caminhadas não esmoreceu.

Surgiu então a ideia de lhe fazer uma surpresa e reunir um grupo de amigos que tantas vezes o acompanharam por esses trilhos em Portugal e encontrar um percurso pedestre acessível para que o pudéssemos realizar em conjunto.
Após alguma pesquisa, os Passadiços de Fiães, junto ao rio Uíma, em Santa Maria da Feira revelaram ser os mais indicados. O seu bom estado de manutenção, a pequena extensão, o pouco ou quase nenhum desnível, a inexistência de degraus (apenas alguns para atravessar a estrada em asfalto que corta as duas secções do passadiço) e as refrescantes paisagens junto ao leito do pequeno rio faziam com que este fosse o percurso ideal para esta aventura que queríamos tão especial.

Passadiços de Fiães - Rio Uíma (Santa Maria da Feira)

E assim o dia chegou envolto em grande mistério. O Jorge sabia que ía fazer os Passadiços de Fiães, apenas não sabia com quem. Ao reencontrar os amigos a emoção foi obviamente enorme, não só nele mas também nos que quiseram partilhar o seu dia. Mas as surpresas não terminaram por aqui.
Antes de iniciarmos o percurso foi desvendada e vestida por cada um de nós uma t-shirt desenhada especialmente para a ocasião. Nela podia ler-se: “Quando a caminhada fica dura, só os duros continuam caminhando” – uma frase que reflete perfeitamente a vida do Jorge. Agora sim, estavamos preparados para percorrer os cerca de 4 quilómetros em percurso linear dos Passadiços de Fiães.
O caminho começa mesmo junto ao Parque de Estacionamento onde seguimos para sul acompanhando o curso do rio Uíma. Este rio é um afluente da margem esquerda do Douro, que nasce no lugar de Duas Igrejas (freguesia de Romariz) e vai desaguar em Crestuma (Vila Nova de Gaia).
Sendo esta uma zona húmida, possui uma imensa riqueza biológica, cada vez mais ameaçada com a poluição provocada pelo homem. Ao longo do percurso são vários os ecossistemas que podemos observar, habitats onde nos é possível contemplar a grande variedade de espécies animais e vegetais existentes.

Atravessamos um tapete de malmequeres amarelos que dançam com a leve brisa que se fazia sentir e chegamos a um pequeno açude. Aqui o passadiço faz uma espécie de plataforma para que possamos observar mais de perto a queda das águas que escapam a grande velocidade entre as pedras negras do rio.
A densa vegetação forma em algumas secções quase que como um túnel verde, por onde avançamos em animadas conversas sempre com o rio à escuta. Das margens as árvores crescem diagonalmente à procura de outras na margem oposta. Do seu cruzamento formam-se tranquilos recantos de intensos verdes. Aqui a pouca profundidade permite ver o leito do Uíma onde alguns peixes ziguezagueiam. Dois patos escondem-se na vegetação ribeirinha à nossa passagem. O Jorge absorvia tudo e os seus olhos brilhavam.
Chegámos ao Observatório, uma pequena torre de madeira que em posição mais elevada permite observar, com o mínimo de intrusão, a fauna no seu habitat natural.
Prosseguimos a caminhada e chegamos ao Parque de Estacionamento mais a sul onde invertemos o sentido da marcha para regressar ao ponto inicial. Faltava agora percorrermos a secção do passadiço a norte da EN 326.
Depois de atravessar a estrada, encontramos de imediato uma zona com equipamentos de manutenção física e logo a seguir uma ponte peculiar em madeira. Estamos já perto da Rua Nossa Senhora da Livração onde termina o passadiço e iniciámos o regresso ao Parque de Estacionamento.
Uma sensação de satisfação e alegria plena acompanhava-nos a cada passo dado, especialmente neste últimos da caminhada. A comemoração da amizade é, sem dúvida, das melhores emoções que podemos experienciar.
Este foi um dia de reencontros, o reencontro do Jorge com o lado bom da vida. E que a vida continue a mostrar muitos lados bons ao Jorge que bem merece.

Nota: Sem querer revelar detalhes pessoais da sua privacidade, este texto foi lido pelo Jorge que autorizou a sua publicação no Sola Gasta.

Passadiços de Fiães - Rio Uíma (Santa Maria da Feira)

Pontos de Interesse: Passadiços, Rio Uíma, Açude, Paisagens Ribeirinhas.

Fontes: aldeiashistoricasdeportugal.com.

FICHA TÉCNICA

Marcação
5/5marcação

Dificuldade
1/5dificuldade

Paisagem
4/5paisagem

Elevação mínima
112melevação mínima

Elevação máxima
135melevação máxima

Subida acumulada
106msubida acumulada

Descida acumulada
115mdescida acumulada

Distância
4,4kmlinear
ida e volta

Tempo
1h:30m
ALTIMETRIA
Altimetria
DOWNLOAD GPS (GPX + KML)

(inscreve-te já na newsletter para receberes os próximos percursos por email)

Partilhar