Partilhar

Caminhada na Vila do Gerês (Terras de Bouro)Sempre que visito o Parque Nacional da Peneda Gerês (PNPG), a vila das Caldas do Gerês é um ponto de paragem obrigatória. A cerca de 20 kms da sede de concelho Terras de Bouro, a localidade pertence à freguesia de Vilar da Veiga e encontra-se num bonito vale pintado de um verde frondoso. Protegida pelas montanhas ao seu redor, a vila usufrui quase sempre de um clima ameno e muito convidativo. Gosto de percorrer as suas ruas e reencontrar os aromas dos chás tradicionais, ouvir a água do rio Gerês que corre fria e segue o seu rumo por entre as casas, cortando o vale até encontrar a Albufeira da Caniçada.
Desta vez estacionei o carro no parque em terra batida à entrada da vila e subi até à artéria principal, a Avenida Manuel Francisco da Costa onde encontrei a azáfama habitual desta acolhedora localidade turística.
Mas aqui o turismo é diferente. Longe do turismo de massas habitual nas praias do litoral durante a época balnear, aqui os turistas encontram outras motivações para visitar o PNPG tais como as paisagens surpreendentes, a tranquilidade das montanhas, o contacto mais próximo com a natureza, os tratamentos termais, enfim…cada um terá as suas razões. E a maior parte regressa mais do que uma vez…é o meu caso.

Mas aqui o turismo é diferente.

Na avenida principal para além da hotelaria e restauração, encontro pequenos negócios com produtos locais. Compro dois sacos de chá bem compostos que me darão para vários meses. É uma forma de prolongar o Gerês depois do regresso a casa.
Nas termas encontro um grupo que se preparava para mais um tratamento, aguardando diante da fonte a sua vez para beber da água termal. Existem referências ao termalismo nesta região desde a época dos romanos e hoje estas termas são o destino de muitos que sofrem de problemas de saúde, nomeadamente relacionados com o fígado e a vesícula biliar.
Percorro as arcadas em pedra e inicio o regresso junto ao curso de água do rio Gerês. Perto da estância termal, o Parque das Termas merece uma visita. Desta vez não o visitei mas aconselho que, quem ainda o desconhece, faça uma visita prolongada e deixe-se perder no tempo, percorrendo os caminhos em terra batida, passeando nas frondosas sombras e contemplando a tranquilidade do lago central. Vale a pena em qualquer altura do ano.
Agora numa artéria paralela à avenida principal sigo em passo ritmado até terminar a caminhada no parque de estacionamento em terra batida onde a iniciei.

FICHA TÉCNICA

1,4 kmscircular
ALTIMETRIA
Altimetria
DOWNLOAD GPS (GPX + KML)

(inscreve-te já na newsletter para receberes os próximos percursos por email)

Partilhar