Percurso Pedestre no Centro Histórico de Guimarães (Guimarães)O Centro Histórico de Guimarães, classificado em 2001 como Património Mundial, é um dos mais bonitos e bem preservados de Portugal. Neste percurso pedestre, com pouco mais de 7kms, queria descobrir o que convenceu a UNESCO a atribuir tão prestigiada distinção a esta cidade e conhecer também um pouco da nossa história, da nossa identidade e da alma desta cidade berço.
Comecei esta caminhada no Parque das Quintãs em direcção ao Castelo de Guimarães. A guardar o castelo, D. Afonso Henriques mantém-se firme de espada em punho e escudo aos seus pés, recebendo os milhares de visitantes que todos os anos percorrem as muralhas imaginando a vida noutros tempos.

Queria conhecer também um pouco da nossa história, da nossa identidade e da alma desta cidade berço.

A poucos metros, o Paço dos Duques de Bragança, mandado construir por D. Afonso, primeiro Duque da Casa de Bragança, aquando do seu segundo casamento com D. Constança de Noronha, integra hoje diferentes vertentes e espaços culturais.
Percorro o trilho em terra batida que serpenteia no jardim bem cuidado e me leva até à entrada principal do castelo. Caminho no átrio e espaços interiores, subo às muralhas e pelas ameias observo as paisagens do Baixo Minho.
Regresso ao exterior e pela Rua de Santa Maria desço à baixa da cidade. Logo depois do Largo Cónego José Maria Gomes, onde no Convento de Santa Clara está instalada hoje a Câmara Municipal de Guimarães, chego à maravilhosa Praça de Santiago. Aqui as “casinhas” engavetadas umas nas outras, com pequenas varandas e alpendres floridos, tornam este património urbano muito peculiar. Apetece morar ali e sentir o pulsar da cidade.
Pelos arcos dos antigos Paços do Concelho, onde sita hoje o Museu de Arte Primitiva Moderna, descubro o Largo da Oliveira, que rivaliza em beleza com a Praça de Santiago. Nele encontro a Igreja de Nossa Senhora da Oliveira assente em fundações de um antigo mosteiro do séc. IX e o Padrão do Salado, um incrível e bem estimado alpendre gótico do reinado de D. Afonso IV que celebra a Batalha do Salado (no ano de 1340).
Sigo na Rua Dr. Avelino Germano até ao Largo Condessa do Juncal e regresso à Praça de Santiago para usufruir de uns momentos de prazer numa das esplanadas soalheiras.
Encaminho-me para o Largo do Toural onde sita a Igreja de S. Pedro e mais adiante deparo-me com a famosa muralha “Aqui nasceu Portugal”.
Na Alameda de São Dâmaso aproveito as sombras do Jardim Público enquanto observo algumas instalações de arte dispersas no passeio.
Continuo a caminhada e chego ao Largo da República do Brasil. Ao fundo, a imponente Igreja de Nossa Senhora da Consolação e Santos Passos, classificada como Imóvel de Interesse Público, é um óptimo exemplar de arquitectura barroca na cidade. As suas origens remontam a uma ermida erguida em 1576, dedicada a Nossa Senhora da Consolação.
Continuo um pouco mais para nascente até ao Teleférico da Penha que facilita a deslocação de muitos turistas e peregrinos ao Santuário da Penha. Regresso à Praça de Santiago e ao Largo da Oliveira para “ir ficando” até ao cair da noite, entre uns petiscos e uma boa conversa.
Era já noite cerrada quando regressei ao ponto de partida do percurso, terminando assim esta caminhada no Centro Histórico de Guimarães.

FICHA TÉCNICA

7,9 kmscircular
ALTIMETRIA
Altimetria
DOWNLOAD GPS (GPX + KML)

(inscreve-te já na newsletter para receberes os próximos percursos por email)